Medicina aceita desafio em operar Testemunhas de Jeová : Sangue
Seja Bem-Vindo Testemunhas de Jeová - Ex Testemunhas de Jeová. Clique aqui e cadastre-se para participar


Medicina aceita desafio em operar Testemunhas de Jeová

Qual é o conceito equilibrado sobre a questão do sangue? Uma análise sobre umas das doutrinas mais polêmicas das TJs.

Medicina aceita desafio em operar Testemunhas de Jeová

Nova mensagempor pascoalnaib em 07 Abr 2010 15:57

http://renangouvea.wordpress.com/religiao-e-o-sangue/
Os seguidores da religião Testemunha de Jeová são conhecidos por suas atitudes extremistas. Uma delas é não aceitarem transfusão de sangue mesmo em operações de alta complexidade. Ao todo são cerca de sete milhões de Testemunhas espalhadas pelo mundo. Eles afirmam que aceitar o sangue de outro homem inflige a lei divina de ‘abster-se de sangue’ e por isso recusam as transfusões.

Quando confrontados com problema de saúde que exige operações de alto risco, eles procuram médicos que estejam dispostas a operá-los segundo suas convicções. A medicina aceitou o desafio e tem encontrado soluções alternativas. Atualmente, como regra, os médicos recomendam tratamentos sem sangue.

Em Ribeirão Preto existem 33 congregações com média de 100 Testemunhas batizadas. Algumas delas já tiveram complicações de saúde e procuraram os médicos do Hospital das Clínicas (HC) de Ribeirão Preto. Eles aceitaram operar as Testemunhas de Jeová e tem encontrado alternativas que garantem a sobrevivência delas em cirurgias em que o não uso do sangue implicaria em óbito.

- Em 1980, transfusão de sangue era uma rotina de uma grande operação. Hoje as Testemunhas de Jeová provaram que não é bem assim e a medicina tem encontrado alternativas mais eficazes que o uso do sangue, revela Luiz Vicente Garcia, anestesista do HC.

O HC realiza 1.500 cirurgias por mês, em quase todos os casos de emergências, os médicos utilizam o sangue doado de outra pessoa. “Quando se perde sangue a medida a ser tomada é repor o sangue perdido. Porém isso não significa que o paciente será salvo. O risco com sangue e sem sangue é igual. Só que não usar sangue é mais seguro na pós-operação”, disse Garcia.

O procedimento mais utilizado pelos médicos do HC Ribeirão com Testemunhas de Jeová é a máquina de coração-pulmão. Nela o sangue do paciente é desviado para uma máquina que faz exatamente o que um coração e um pulmão faz. A máquina artificial oxigena e devolve o sangue do paciente, ou seja, só se usa o sangue da própria pessoa na cirurgia. Nesses casos as Testemunhas de Jeová são mais flexíveis e aceitam o tratamento.

- Há alternativas eficientes como a recuperação intra-operatória de células. Nela se reduz a perda de sangue, comenta Garcia. Durante a cirurgia, ainda segundo o anestesista, o sangue dos ferimentos é recuperado, lavado, filtrado e devolvido ao paciente.



Feito da medicina no HC

A técnica ‘máquina coração-pulmão’ utilizada pela equipe do HC de Ribeirão Preto poderia ter sido destaque internacional, mas, não foi. O destaque ficou para a equipe de um hospital da cidade de Nova Jersey nos EUA.

Os médicos de lá são especialistas em cirurgias sem sangue e aceitaram operar um seguidor da religião Testemunha de Jeová com as condições imposta por ele. Segundo a revista americana Times, publicada em 2006, durante a operação a perda de sangue foi grande. A taxa de hemoglobina do paciente caiu para 1,7 gramas sendo que o normal é 15. A Testemunha envolvida não morreu e os médicos que se submeteram a cirurgia ganharam fama no mundo inteiro. Ainda segundo a revista, esse foi um dos grandes feitos da medicina contemporânea.

Já aqui em Ribeirão Preto, o feito foi ainda maior. A equipe do anestesista Luiz Garcia operou um paciente Testemunha de Jeová, de 27 anos, com distúrbios de coagulação sangüínea grave. “Como esperado ela perdeu sangue além do normal e sua taxa de hemoglobina chegou há 1,4 e ele sobreviveu. De fato foi um grande feito realizado aqui em Ribeirão”, revela o anestesista.

Luiz Garcia se dedica a ajudar as Testemunhas de Jeová há doze anos. Desde 1996 sua equipe realizou cerca de 300 cirurgias graves. Desse total um paciente faleceu. “Não dá para dizer que foi por conta da falta de sangue. A cirurgia foi tão complexa que vários fatores pode ter dado o óbito. A falta de sangue é o último caso”, disse.



Médicos “algemados”

Operar uma Testemunha de Jeová com as condições impostas por elas não é agradável, segundo os médicos. Eles afirmam ficar em uma posição difícil ao tratar casos graves envolvendo as Testemunhas. A final, os médicos tem uma ética igualmente importante das Testemunhas de Jeová, a de salvar vidas acima de tudo.

- Deixar de usar todos os recursos disponíveis em uma operação é tido como um erro médico, disse um médico do HC-RP que preferiu não se identificar.

Entretanto, durante o primeiro Congresso Nacional de Ética e Profissionalismo Médico realizado nos EUA em 1977, o médico palestrante William Williamson disse que “a vida do paciente cabe a ele decidir e que o médico deve tratar o paciente segundo os ditames da religião do paciente, e o médico não pode impor suas próprias convicções religiosas”.

No Brasil a Lei Estadual de 1999 reza a mesma coisa. Diz que o paciente tem o direito de decidir. Mas, segundo o médico do HC-RP o responsável na hora da operação não precisa cumprir o que diz a lei já que existe um conflito ético. “Eu operei uma jovem Testemunha e ela faleceu. Tinha dois filhos para criar. Sei que poderia salvá-la, me sinto culpado”, disse.

Para reaver a questão ética entre pacientes e médicos, o Conselho Federal de Medicina pretende realizar, ainda esse ano, um congresso pautado pela determinação religiosa das Testemunhas de Jeová em não aceitar sangue mesmo que isso lhe custe à vida.

Posição dos seguidores

A reportagem do Jornalismo com Seriedade respeitou a decisão das Testemunhas de Jeová em não revelarem seu nome. Conversamos com ao menos três religiosos, um ancião da religião e dois membros da Comissão de Ligação com Hospitais, COLIH – que tem objetivo de explicar biblicamente aos médicos a posição dos religiosos sobre as transfusões de sangue.

Explicaram que além de não aceitarem sangue em situações que envolvam suas vidas, os adeptos têm que manter condutas morais fortes. Se uma Testemunha batizada ou capacitada para ir de porta em porta para ensinar a bíblia não cumprir os requisitos morais elas perdem seus privilégios e muitos casos são expulsas da religião.

Segundo os religiosos, só em Ribeirão, desde o início do ano, foram expulsos da religião cerca de seis mil jovens Testemunhas de Jeová por terem “ficado” com uma pessoa do sexo oposto.

Disseram ainda que a religião também não permite comemorações festivas e também não celebram natal, ano novo e aniversários. Ainda recusam-se a servir o exército de sua nacionalidade. Não adoram imagens de santos ou anjos e optam pela morte, caso alguém lhe imponha uma adoração, como aconteceu durante a II Guerra Mundial.

De acordo com a exposição itinerante “Triângulos Roxos – As Vítimas Esquecidas do Nazismo”, cerca de duas mil Testemunhas de Jeová perderam a vida. Isso ocorreu porque Hitler queria que as Testemunhas de Jeová da Alemanha lhe prestassem reverência e renunciassem sua fé. Por darem devoção exclusiva a Jeová (nome de Deus) rejeitaram tal ordem e foram condenados à morte.

As Testemunhas de Jeová também se diferenciam das demais religiões, que se professam cristãs, por irem de casa em casa em mais de 230 países falando sobre a Bíblia. Em 2007 elas gastaram mais de um bilhão de horas nessa atividade, segundo a revista Ministério do Reino, publicada pelos seguidores.


Existe um espaço para comentários lá! :4
Avatar de usuário
pascoalnaib
Administrador
Administrador
 
Mensagens: 6487
Data de registro: 31 Out 2008 15:34
Localização: Fortaleza-CE

Re: Medicina aceita desafio em operar Testemunhas de Jeová

Nova mensagempor andersonpaulino em 07 Abr 2010 16:31

Segundo os religiosos, só em Ribeirão, desde o início do ano, foram expulsos da religião cerca de seis mil jovens Testemunhas de Jeová por terem “ficado” com uma pessoa do sexo oposto.


Aleluia.... Deus está operando nesse momento... seis mil libertos... e vamos engrossar esse caldo e fazer com que esses conheçam a verdade sobre a Verdade pra que não tenham que voltar pra lá como madalenas arrepedidas... e viva o deus do sexo que abençoou esses jovens!

Mas espera... seis mil... só em ribeirão... e só por terem ficado... não sei de que mês foi o dia em que isto foi postado lá, mas considerando que no Brasil são cerca de 600 mil publicadores (é isso mesmo?), isto nos dá uma taxa de aproximadamente quantos desassociados por ano, por outros motivos e em outras localidades no mundo todo? Se for do jeito que eu tô pensando, o tal crescimento da organização tá meio maquiado não acham não?

A reportagem do Jornalismo com Seriedade respeitou a decisão das Testemunhas de Jeová em não revelarem seu nome. Conversamos com ao menos três religiosos, um ancião da religião e dois membros da Comissão de Ligação com Hospitais, COLIH – que tem objetivo de explicar biblicamente aos médicos a posição dos religiosos sobre as transfusões de sangue.

Explicaram que além de não aceitarem sangue em situações que envolvam suas vidas, os adeptos têm que manter condutas morais fortes. Se uma Testemunha batizada ou capacitada para ir de porta em porta para ensinar a bíblia não cumprir os requisitos morais elas perdem seus privilégios e muitos casos são expulsas da religião.

Segundo os religiosos, só em Ribeirão, desde o início do ano, foram expulsos da religião cerca de seis mil jovens Testemunhas de Jeová por terem “ficado” com uma pessoa do sexo oposto.

Disseram ainda que a religião também não permite comemorações festivas e também não celebram natal, ano novo e aniversários. Ainda recusam-se a servir o exército de sua nacionalidade. Não adoram imagens de santos ou anjos e optam pela morte, caso alguém lhe imponha uma adoração, como aconteceu durante a II Guerra Mundial.

De acordo com a exposição itinerante “Triângulos Roxos – As Vítimas Esquecidas do Nazismo”, cerca de duas mil Testemunhas de Jeová perderam a vida. Isso ocorreu porque Hitler queria que as Testemunhas de Jeová da Alemanha lhe prestassem reverência e renunciassem sua fé. Por darem devoção exclusiva a Jeová (nome de Deus) rejeitaram tal ordem e foram condenados à morte.

As Testemunhas de Jeová também se diferenciam das demais religiões, que se professam cristãs, por irem de casa em casa em mais de 230 países falando sobre a Bíblia. Em 2007 elas gastaram mais de um bilhão de horas nessa atividade, segundo a revista Ministério do Reino, publicada pelos seguidores.


Em vez de explicar o porquê da posição aproveitam a maior parte das linhas de "posição dos seguidores" pra fazer marketing e mais marketing... afff, como eu tenho nojo disso...
Estuans Interius Ira Vehementi...
Avatar de usuário
andersonpaulino
Forista
Forista
 
Mensagens: 406
Data de registro: 16 Jul 2009 12:45

Re: Medicina aceita desafio em operar Testemunhas de Jeová

Nova mensagempor Poltergeist em 07 Abr 2010 16:36

6 mil só na cidade de Ribeirão Preto? E por "ficar"?

PQP, que MENTIROSO!
A mentira teme a verdade. Afinal, você já viu "apóstatas" desassociando uma Testemunha de Jeová?

Procurando um assunto específico? Visite o Índice do Fórum: viewtopic.php?f=2&t=3230
Avatar de usuário
Poltergeist
Moderador
Moderador
 
Mensagens: 7771
Data de registro: 26 Fev 2009 16:57
Localidade: São Paulo

Re: Medicina aceita desafio em operar Testemunhas de Jeová

Nova mensagempor sidhiresus em 07 Abr 2010 17:52

As Testemunhas de Jeová também se diferenciam das demais religiões, que se professam cristãs, por irem de casa em casa em mais de 230 países falando sobre a Bíblia. Em 2007 elas gastaram mais de um bilhão de horas nessa atividade, segundo a revista Ministério do Reino, publicada pelos seguidores.


Isso, em mais de 230 paises levam ensinos falsos as pessoas.
Avatar de usuário
sidhiresus
Administrador
Administrador
 
Mensagens: 7697
Data de registro: 01 Nov 2008 09:15
Localidade: São Paulo


Retornar para Sangue

Quem está online

Usuários vendo este fórum: Nenhum usuário registrado online e 9 visitantes