Priorizar o proselitismo e esquecer a caridade, é cristão? : Crenças, Doutrinas e História
Seja Bem-Vindo Testemunhas de Jeová - Ex Testemunhas de Jeová. Clique aqui e cadastre-se para participar


Priorizar o proselitismo e esquecer a caridade, é cristão?

Debates e discussões acerca das crenças, doutrinas e a história das Testemunhas de Jeová.

Priorizar o proselitismo e esquecer a caridade, é cristão?

Nova mensagempor Abenildo em 07 Nov 2008 21:01

Abordamos este tema no tópico do Edmar, - "Porquê mesmo que Deus permite o sofrimento, hein? ".
A questão surgiu quando debateos a respeito da evidente falta de ação social da Torre.
Edmilsom disse...
Re: Porquê mesmo que Deus permite o sofrimento, hein?
por Edmilson em Seg Nov 03, 2008 9:22 pm

Fala Edmar,

Sua pergunta é, para mim, a mais dificil de todas e é tambem a que mais me atormenta e eu certamente não tenho uma resposta plenamente satisfatória. Tendo dito isto, vou tentar compartilhar um pouco do que entendo sobre o assunto.

Se Jeová não interfere nos assuntos humanos de forma alguma, de modo a não melhorar este sistema controlado por Satanás, como uma TJ pode acreditar que foi abençoada pessoalmente com a "verdade" (ou teve suas orações, quais sejam, atendidas) e que Jeová vem agindo no meio do seu povo para divulgar as "boas novas"? Ou seja, como Jeová pode permitir que crianças passem fome, frio, sede e morram das formas mais cruéis e covardes possíveis e, mesmo assim, estar abençoando 0,01% da população da Terra (as TJ's) com mensagens divinas de vida feliz e eterna? Será que esta mensagem pode trazer algum benefício imediato – ou tem um mínimo de importância – para uma criança africana que está passando fome diante da impotência de seus pais?


Em primeiro lugar percebo que sua pergunta não é propriamente sobre por que Deus permite o sofrimento mas um questionamento dirigido as TJs sobre o conceito das TJS de que a mensagem da pregação é mais importante que obras de caridade, como ajudar uma pessoa com fome. Quanto a isto acredito que as TJs estão ERRADAS. Ajudar as pessoas é no minimo tão importante quanto divulgar qualquer mensagem biblica. Tambem considero errada a idéia TJ de que Deus não interfere nos assuntos humanos. De muitas formas Deus interfere nos assuntos humanos e está interessado e m ajudar as pessoas. Assim sua pergunta parte de uma premissa errada - "Se Jeová não interfere nos assuntos humanos de forma alguma..." e assim chega a conclusões erradas.

Quanto ao por que, mesmo Deus interferindo nos assuntos humanos ele permite o sofrimento, a grande questão, o que penso é que do ponto de vista humano e limitado desta vida e da nossa perspectiva, não conseguimos entender o sofrimento. Contudo do ponto de vista da eternidade e da totalidade pode haver um sentido. Muitas dificuldades que passamos na vida forjam o nosso carater, estimulam a engenhosidade, permitem a outras pessoas demonstrar e desenvolver o amor, compaixão, entre outras coisas. O que entendo é que esta vida é apenas um estágio na nossa jornada. Segundo a biblia o cristão é como um peregrino vivendo em uma terra estrangeira.

Ao contrário do conceito TJ, o cristianismo estimula as pessoas a ajudar umas as outras e a fazer obras de caridade, a cuidar dos doentes, dos pobres, dos orfãos e das viúvas; e uma grande parte das obras assistenciais está embasada nos principios cristãos.


Nosso querido forista MoonWalker, expôs seu ponto de vista da seguinte forma...


Me desculpe meu caro, mas de uma ótica bíblica e coerente com o que Jesus ensinou, quem está erradíssimo é você! Há uma abundância de textos que colocam por água abaixo essa tua tese. Tipo aqueles : "O homem não vive apenas de pão", "trabalhai não pelo alimento que perece", "Buscai primeiro o Reino" e uma lista que demonstram que na bíblia simplesmente nada é mais importante ou tem o mesmo peso que a "mensagem de de pregação". O assunto é complexo, mas ninguém se engane, proselitismo é o próprio âmago do cristianismo segundo a bíblia, tudo mais é secundário. Até obras de "caridade"quando feitas com a motivação errada são inutéis.Já pregar as boas novas,ainda que o pregador esteja imbuído de uma má motivação é válido e útil segundo a bíblia,o que importa é que o Cristo e seus ensinos estão sendo proclamados. Daí já se nota a grande diferença.


Bom, infelizmente não sei ainda como mover os posts para este tópico, por isso convido nossos amigos Edmilsom e MoonWalquer a continuar este enriquecedor debate por aqui!
Logicamente, está aberto a todos os amigos foristas também expor seus pontos de vista, bem como a crítica. :2 :2 :2
Nós somos madeira de lei que cupim não rói!!!! Ariano Suassuna, Capiba.
Avatar de usuário
Abenildo
Administrador
Administrador
 
Mensagens: 4297
Data de registro: 01 Nov 2008 06:37
Localização: Caruaru-PE

Re: Priorizar o proselitiso em detrimento à caridade, é cristão?

Nova mensagempor Pássaro em 08 Nov 2008 07:56

Este tópico me fez elmbrar a época que se pedia grana pelas revistas com valor fixo. Quando se ia pregar em regiões paupérrimas, a orientação era pra não se dar as revistas, pois a pessoa podia se acostumar e outro que passasse na região depois poderia ficar em situação dificil1 Hoje, nem dando a galera tá querendo!
A seita tá atacando quem gasta tempo cuidando da sua própia sáude! Vide a sentinelea de 15/11/2008, imagine montar esquemas de caridade, as tjs só tem que manter a boa vida de meia duzia de americanos espertos, só isso!
O barco da torre tá afundando?
Avatar de usuário
Pássaro
Forista
Forista
 
Mensagens: 10035
Data de registro: 01 Nov 2008 07:45
Localização: bahia

Re: Priorizar o proselitiso em detrimento à caridade, é cristão?

Nova mensagempor André Felix em 08 Nov 2008 09:49

A Torre de Vigia estabeleceu para as testemunhas de Jeová um regime de exceção que está se prolongando demais. Vou explicar melhor isso:
Num regime de exceção direitos e garantias legais são suspensos para agilizar a resolução de uma situação emergencial. O regime militar que governou o Brasil a partir de 1964, por exemplo, usou como pretexto a subversão da ordem por parte dos "revolucionários" de esquerda. A proposta era que esse estado de exceção durasse pouco tempo. Acontece que os militares, uma vez no poder, prolongaram o seu domínio por duas décadas.
O mesmo acontece com a Torre de Vigia. Ela mantém desde a década de 70 do século XIX o alerta de que o fim desse "sistema de coisas" é totalmente iminente. Bilhões de pessoas estariam correndo o risco de perderem as suas vidas. Tendo isso em vista é totalmente coerente para os que acreditam nela concentrarem todos os seus esforços na divulgação da mensagem, com o nobre objetivo de salvar as vidas do máximo possível de pessoas. Quem viveu, por exemplo, há 50 anos atrás, quando a Torre de Vigia apontava o fim para poucos anos à frente, agia com coerência em não priorizar empenhos beneficentes e sociais. O mesmo se pode falar sobre as testemunhas de Jeová das décadas de 70 e 80.
Hoje, mais do que nunca, esse regime de exceção da Torre de Vigia está evidentemente, em especial para nós que conhecemos a história dela, destituído de sentido e significado. Ela suprimiu dos seus seguidores o direito de votar, de lutarem por direitos civis, servirem como voluntários em obras sociais, de investirem sem culpa numa formação superior ou mesomo passarem mais tempo com a família do que em atividades "teocráticas" propostas por ela.
Apenas um exemplo. Em Nosso Ministério do Reino de julho de 1974, nas páginas 3 e 4, foi dado o anúncio:

"Receberam-se notícias de irmãos que venderam sua casa e propriedade e que planejam passar o resto dos seus dias neste velho sistema de coisas empenhados no serviço de pioneiro. Este é certamente um modo excelente de passar o pouco tempo que resta antes de findar o mundo iníquo".Seguindo isso que a Torre de Vigia apresenta como "bom exemplo", muitos venderam suas casas confortáveis, conquistadas com grande sacríficio, deixaram bairros com boa infra-extrutura, com hospitais e escolas de qualidade acima da média do restante do país e foram se aventurar em localidades miseráveis, com grande sacrifício para a família. Conheço uma família que trocou Santo André, em São Paulo, por uma cidade do Vale do Jequitinhonha, no norte de Minas Gerais, da década de 70. Nem precisa falar que foi uma aventura perigosa que sacrificou a família toda. Eles nunca mais se recuperaram.
Mas a Torre de Vigia continua a usar o mesmo pretexto de que o "fim" está às portas para mobilizar a massa de publicadores ao trabalho. Com esse discurso ela se tranformou ao longo dos anos e das gerações de testemunhas de Jeová numa grande, lucrativa e milionária multinacional.
O pensamento é o ensaio da ação.
Sigmund Freud
André Felix
Desativado a pedido do usuário
 
Mensagens: 3912
Data de registro: 01 Nov 2008 08:42

Re: Priorizar o proselitismo e esquecer a caridade, é cristão?

Nova mensagempor pascoalnaib em 08 Nov 2008 11:13

"Quem despreza ao seu próprio próximo está pecando, mas feliz é aquele que mostra favor aos atribulados." - Provérbios 14:21


"A forma de adoração que é pura e imaculada do ponto de vista de nosso Deus e Pai é esta: cuidar dos órfãos e das viúvas na sua tribulação, e manter-se sem mancha do mundo." - Tiago 1:27


"Ora, naqueles dias, aumentando os discípulos, surgiram resmungos da parte dos judeus que falavam grego contra os judeus que falavam hebraico, porque as suas viúvas estavam sendo passadas por alto na distribuição diária. De modo que os doze chamaram a si a multidão dos discípulos e disseram: "Não é agradável que deixemos a palavra de Deus para distribuir [comida] às mesas. Portanto, irmãos, procurai vós mesmos, dentre vós, sete homens acreditados, cheios de espírito e de sabedoria, para que os possamos designar para esta incumbência necessária; mas, nós mesmos nos devotaremos à oração e ao ministério da palavra." E a palavra falada agradou a toda a multidão, e selecionaram Estêvão, homem cheio de fé e espírito santo, e Filipe, e Prócoro, e Nicanor, e Timão, e Pármenas, e Nicolau, prosélito de Antioquia; e puseram-nos diante dos apóstolos, e, depois de terem orado, estes puseram as suas mãos sobre eles." - Atos dos Apóstolos 6:1-6


Não há como negar que no primitivo cristianismo havia uma preocupação extraordinária com relação as obras de caridade. Isto é deixado claro logo no versículo 1, quando se fala da "distribuição diária", serviço este que os cristãos inquestionavelmente participavam de forma ativa; de fato, uma visão global deste relato nos mostra a importância dada a este trabalho. É interessante notar que era um afazer diário da congregação primitiva; não uma atividade desempenhada apenas quando havia uma grande catástrofe ou acontecimento excepcional. Antes, atividades relacionadas com a caridade faziam parte do seu dia-a-dia, isto mostrado claramente nas escrituras - o que não acontece no caso da pregação sistemática (nos moldes da Torre de Vigia). De fato, a rotina daqueles primitivos cristãos tinha um tempo - assim como recursos - destinado a ajudar aos em maior necessidade, fossem estes cristãos ou não.

Talvez então alguns afirmem: "Mas a pregação é realmente mais importante que as obras de caridade, visto que os doze não aceitaram interromper seu trabalho de evangelização para ajudar na distribuição de alimentos". Realmente, os doze não aceitaram parar a obra de evangelização, o que prova que nem todos os discípulos se empenhavam nesta obra. Maiormente, fica nítido o fato de que, ao passo que toda a congregação participava na distribuição de mantimentos aos mais carentes, apenas um pequeno grupo de missionários e evangelizadores se empenhava no trabalho concentrado de divulgação do cristianismo.

Uma clara evidência neste sentido está no fato de o mesmo relato mencionar que foram designados sete outros varões, que obviamente não estavam empenhados no trabalho de evangelização (e portanto disponíveis) para cuidar do assunto, caracterizado como "incumbência necessária" (não opcional ou esporádica). Realmente, ao passo que os doze apóstolos e alguns outros trabalhavam na obra de evangelização, os sete designados tinham tempo para cuidar de todos os seus afazeres e ainda trabalhar diariamente nas obras de caridade, estas sim consideradas obras prioritárias nos tempos do primitivo cristianismo. Por que razão os sete designados não argumentaram da mesma forma que os apóstolos, por afirmarem que "não é agradável que deixemos a palavra de Deus para distribuir [comida] às mesas"? O fato de estes haverem concordado sem hesitar em cumprir tal tarefa nos mostra clara e indubitavelmente que trabalho era considerado prioritário por eles.

Vale a pena lembrar que o relato acima demonstra cristalinamente que as congregações primitivas organizavam sua atividade de ajuda, não simplesmente deixando a cargo de cada membro individual a tarefa humanitária que era esperada deles.

Texto completo e muito interessante! :!:
http://members.tripod.com/elderspov/introducao_amor.htm
Avatar de usuário
pascoalnaib
Administrador
Administrador
 
Mensagens: 6625
Data de registro: 31 Out 2008 15:34
Localização: Fortaleza-CE

Re: Priorizar o proselitismo e esquecer a caridade, é cristão?

Nova mensagempor Inu-Yasha em 08 Nov 2008 12:50

Existe até uma Sentinela que mencionava os "cristãos de arroz", na qual a Torre se enaltecia por trazer a mensagem que traria "verdadeiro alívio aos problemas das pessoas". Para a Torre, basta pregarmos e vendermos livros e revistas, e trazermos mais pessoas para fazer o mesmo, ajudar os outros, nem pensar. Isso não é importante, importante é pregar o "Reino"...qualquer tipo de ajuda é vista com muita suspeita, a não ser que seja para o superintendente de circuito, distrito ou para apoiar as construções da Torre...ela não ajuda ninguém, ela manda a mensagem :9 se virem!! Eu mesmo já ouvi anciãos justificando que não iam ajudar alguém doente ou em necessidade porque ficariam em dívida com as contribuições para com a Torre, e que estas, como eram para "Jeová" eram muito mais importantes. Pode?
Imagem "Paz e amor entre os povos"
Avatar de usuário
Inu-Yasha
Forista
Forista
 
Mensagens: 1126
Data de registro: 01 Nov 2008 15:21
Localização: Taboão da Serra - SP

Re: Priorizar o proselitismo e esquecer a caridade, é cristão?

Nova mensagempor André Felix em 15 Nov 2008 08:25

Eu penso que na condição de instituição religiosa a Torre de Vigia tem toda a liberdade para se dedicar apenas na obra de proselitismo para os de fora e instruções para os seus membros. O erro é desmotivar, quase condenando, o envolvimento dos seus membros nessas atividades. Ela não condena a doação de recursos, desde que não seja para instituições mantidas por alguma religião ou igreja, desmotiva o trabalho voluntário pois isso poderia diminuir o tempo que a pessoa gostaria em fazer trabalho "voluntário" de prosilitismo para ela. Agora, a questão mais chocante é a falta de benificência para com os próprios membros dela. Sua publicações alardeiam muito a ajuda humanitária em casos de desastres naturais mas nos casos de problemas sociais crônicos como a miséria, o desemprego, a velhice desamparada ou falta de atendimento na área de saúde, entre outras, as ajudas não são incentivadas, em alguns casos até desmotivadas, mesmos quando o alvo são os de "dentro", ou seja, as próprias testemunhas de Jeová. Na última congregação que eu fazia parte cheguei a ver publicadores humildes desmaiarem de fome. Foi assim - na primeira vez vi aquela mulher magrinha e pequena desamaiar em pleno estudo da Sentinela. Rapidamente foi levada de carro para o Pronto Socorro. Mas aconteceu uma segunda vez. Disseram que era queda de pressão. Na terceira vez ninguém levou. Perguntei para uma "irmã" próxima dela e descobri a verdade. O pessoal do PS que viam aquele carro novo, cheio de gente engravatada chegando com aquela mulher magrinha teriam dito que o problema dela era fome. De fato, desempregada, abandonada pelo marido, com filhos pequenos, ela estava sobrevivendo catando papelão e outros materias recicláveis da rua. Só que, além de frágil, ela não conseguia pegar muita coisa. Também entrava a depressão e a timidez. Eu falei com a instrutora dela sobre a possibilidade de nos juntarmos com outros para fazermos uma "vaquinha" para ajudá-la fincanceiramente. Não conseguimos nada! Nós dois ajudamos como pudemos, dando alguns mantimentos. Não demorou muito para uma vizinha evangélica conseguir emprego para ela numa empresa de limpeza. Mas aqueles "irmãos" e "irmãs" de classe média da congregação, que gostam de usar a máxima de "dar a vara de pescar ao invez do peixe" nunca fizeram nada, mas nem chamar para um dia de faxina na casa deles.
O pensamento é o ensaio da ação.
Sigmund Freud
André Felix
Desativado a pedido do usuário
 
Mensagens: 3912
Data de registro: 01 Nov 2008 08:42

Re: Priorizar o proselitismo e esquecer a caridade, é cristão?

Nova mensagempor Inu-Yasha em 15 Nov 2008 08:36

É mais ou menos como aquele texto..."Mantende-vos aquecidos e bem alimentados"...mas não estende um dedo...lamentável...e ainda se dizem o "povo escolhido de Deus"...bem, se for o Deus da laia deles, pode até ser que sim.... :2
Imagem "Paz e amor entre os povos"
Avatar de usuário
Inu-Yasha
Forista
Forista
 
Mensagens: 1126
Data de registro: 01 Nov 2008 15:21
Localização: Taboão da Serra - SP

Re: Priorizar o proselitismo e esquecer a caridade, é cristão?

Nova mensagempor André Felix em 15 Nov 2008 08:37

Inu-Yasha escreveu:Existe até uma Sentinela que mencionava os "cristãos de arroz", na qual a Torre se enaltecia por trazer a mensagem que traria "verdadeiro alívio aos problemas das pessoas". Para a Torre, basta pregarmos e vendermos livros e revistas, e trazermos mais pessoas para fazer o mesmo, ajudar os outros, nem pensar. Isso não é importante, importante é pregar o "Reino


Essa de "Cristãos de Arroz" foi usada várias vezes.
Alguns exemplos:

Enviaram também missionários que eram médicos e professores, os quais produziram os chamados “cristãos-de-arroz”, que se tornaram tais por receberem alimentos e benefícios materiais. Isto resultou no recolhimento de um vasto número de peixes imprestáveis, que não tinham a aprovação de Deus. Mas, pelo menos, expôs milhões de não-cristãos à Bíblia e a uma forma de cristianismo, embora corrupta.
....Essas pessoas excelentes que professavam o cristianismo puderam levar a verdade bíblica a muitos daqueles que se haviam tornado “cristãos-de-arroz” ou que haviam obtido um conhecimento limitado da Bíblia através das Escrituras traduzidas para a sua língua pelas sociedades bíblicas da cristandade. Deveras, o recolhimento de peixes excelentes prosseguiu, embora a maioria dos ajuntados pela cristandade fosse imprestável do ponto de vista de Deus.
A Sentinela 15/06/92, páginas 17-22

No Oriente, por exemplo, a disposição das pessoas, de fazer quase qualquer coisa que as igrejas demandem, com o fim de se habilitar a receber presentes ou doações, tem dado margem ao apelido depreciativo de “cristãos de arroz”. A parte mais lamentável, naturalmente, é que, quando esse socorro ou sustento cessa, cessa também o interesse das pessoas. Muitos dos “cristãos de arroz” simplesmente desaparecem do cenário. De modo que, entre os cantoneses, há um ditado popular que, traduzido, é mais ou menos assim: “Deus ama o mundo, mas o mundo ama leite em pó."
A Sentinela 15/01/87, páginas 4-6

Agora, uma evidência de que esses comentários depreciativos da Torre de Vigia não passam de malidicência e inveja é que, apesar dos que se aproximaram apenas com interesses materias, o número de católicos e protestantes nesses países é sempre bem maior do que o de testemunhas de Jeová. Aliás, em muitos está havendo hoje até decréscimo no número de publicadores ativos da Torre de Vigia.
O pensamento é o ensaio da ação.
Sigmund Freud
André Felix
Desativado a pedido do usuário
 
Mensagens: 3912
Data de registro: 01 Nov 2008 08:42

Re: Priorizar o proselitismo e esquecer a caridade, é cristão?

Nova mensagempor Inu-Yasha em 15 Nov 2008 09:04

Acho que a Torre está mesmo para passar por uma grande mudança...não que isso vai trazer uma "Torre melhor", mas com certeza os executivos dela percebem que o atual movimento a levará para a ruína. Com certeza, eles virão com várias novidades...uma delas sem dúvida é o fim de alguns arranjos de décadas, como os Superintendentes de Circuito...e, acredito, algumas mudanças radicais virão por aí...
Imagem "Paz e amor entre os povos"
Avatar de usuário
Inu-Yasha
Forista
Forista
 
Mensagens: 1126
Data de registro: 01 Nov 2008 15:21
Localização: Taboão da Serra - SP

Re: Priorizar o proselitismo e esquecer a caridade, é cristão?

Nova mensagempor Anita em 15 Nov 2008 13:07

PASSARO, fui conferir o q vc disse, realmente olhe o que a torre diz:
""Estamos decididos a não perder a aprovação de Jeová por querer a todo o custo salvar nossa vida atual, pois estamos convencidos de que , se permanecemos fiéis a Deus, ganharemos a "verdadeira vida" -a vida etens no seu prometido novo mundo."
Essa é boa agora perderemos a aprovação de jeová por cuidarmos de nossa saúde.
Lá ainda diz não botar a nossa saude acima do reino.
Tem un idiota aqui morrendo de doença e não se cuida, tá todo dia no campo, agora ele vai ter base pra continuar assim.
A vida é a arte do saber, quem quiser saber tem de viver.
Avatar de usuário
Anita
Forista
Forista
 
Mensagens: 407
Data de registro: 01 Nov 2008 17:28

Próximo

Retornar para Crenças, Doutrinas e História

Quem está online

Usuários vendo este fórum: pcesarthebest e 17 visitantes